Blog Joalharia Tutorials

Tincal

Tincal é o nome que se dá ao produto que se usa na soldadura para manter o metal limpo de oxidação à medida que aquece, de forma a permitir o fluir da solda.

O tincal, utilizado para soldar metais não ferrosos, é à base de borax ou borato de sódio. Existe em estado líquido, pó, pasta ou em pedra. O mais utilizado hoje em dia é a versão líquida, mais prática porque não requer preparação prévia.

O tincal em pó precisa de ser misturado em água para formar uma pasta. Esta pasta tem algumas vantagens em relação ao líquido, nomeadamente o facto de ficar mais facilmente no local onde é colocada, enquanto que o líquido escorre. Em áreas curvas ou quando a zona a soldar tem de ficar vertical, pode ser preferível usar a pasta. Por outro lado a pasta seca rapidamente e é preciso preparar de novo a cada dia e ir acrescentando umas gotas de água ao longo do dia para não secar.

O tincal em pedra é utilizado em situações onde a solda teima em não fluir. Nessas alturas, aplicar um pouco de borax em pedra directamente no metal quente costuma resolver o problema. Também se usa para cobrir o interior do cadinho antes de fundir metal, criando uma camada vidrada que impede o metal derretido de agarrar ao fundo.

Quando se utiliza o tincal líquido, é conveniente deitar um pouco para um frasco mais pequeno que não só torna a utilização mais fácil mas também impede que haja contaminação de sujidade na totalidade do líquido.

Para aplicar o tincal líquido no início da soldadura usa-se um pincel. O pincel molhado com tincal também ajuda a agarrar os palhões de solda quando necessário.

Porém, se for necessário aplicar mais tincal a meio do processo, uma pipeta é mais eficaz uma vez que os pincéis têm tendência a ficar queimados quando em contacto com o metal quente.

Existem pipetas em plástico e as mais tradicionais em vidro, mas aquilo que uso com mais frequência é uma pipeta improvisada: uma daquelas embalagens individuais de soro, que qualquer pessoa com crianças ou que use lentes de contacto deve ter por casa. Ocupa pouco espaço e quando o tincal seca e fica coberta de cristais que entopem aquilo tudo, não me deixa triste por ter de a deitar fora e substituir por outra. Além disso é uma forma de reciclagem, o que é sempre bom.

Para além do tincal de soldar também existe o tincal azul que é um tincal de barreira, usado para proteger toda a peça de oxidação. Na prata este tincal azul ajuda a prevenir a oxidação que dá origem à mancha cinzenta, tão difícil de eliminar no polimento e também permite fazer mais de uma soldadura de seguida sem necessidade de branqueamento.

O tincal azul tem na sua composição álcool metílico e ácido bórico o que torna o líquido altamente inflamável. O álcool evapora facilmente pelo que é preciso ter o contentor sempre muito bem fechado. Para funcionar tem de ser aplicado a todo o metal limpo antes de aplicar o tincal de soldar.

Tal como para o tincal amarelo, recomendo retirar uma pequena porção para um frasco mais pequeno para preservar ao máximo o conteúdo. Duas opções são:

Frascos de gotas. Reutilizei um frasco de medicamento que tem conta-gotas incorporado.

Frascos de spray. Os frascos de spray funcionam melhor com o tincal azul do que com o amarelo que tem tendência a deixar pequenos cristais quando seca e entope facilmente o mecanismo do spray. Para o azul é uma boa opção porque nunca é preciso destapar o frasco evitando evaporação, e o spray cobre facilmente toda a área. O maior cuidado a ter é não respirar as gotículas do spray que ficam em suspensão no ar. É aconselhado usar máscara (que aliás se devia usar sempre, ao soldar).

Veja também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *