Blog Joalharia Tutorials

Fundição em osso de choco

O osso de choco é composto por um material mole e fácil de esculpir, tem uma textura interessante e aguenta a temperatura do metal em fusão.
A técnica de fundição em osso de choco permite a criação de peças com esta textura única sem necessidade de nenhuma ferramenta especial, para além de um maçarico que consiga chegar à temperatura necessária para manter o metal líquido durante o processo.

Preparação do osso de choco

É preciso começar por escolher um osso de choco com grossura suficiente para permitir ser serrado ao meio. Se for muito pequeno não terá massa suficiente para serrar e esculpir.

A partir deste momento, recomendo o uso de máscara de pó enquanto se trabalha com o osso de choco.

Primeiro começa-se por cortar as duas pontas e um pouco das laterais de forma a obter uma forma rectangular.

Depois abre-se o osso ao meio, com a serra de joalheiro, ficando com duas metades idênticas.
Colocando uma folha de lixa de grão 600 sobre a mesa, esfrega-se o interior do osso de choco sobre a lixa para alisar e retirar as marcas da serra.

Usa-se um pincel para retirar o pó e tornando a textura mais visível e guarda-se uma das metades do choco para mais tarde.

Planeia-se o desenho a escavar na outra metade. Eu usei uma moeda para servir de molde e marcar dois círculos. Marca-se a forma com uma agulha, uma faca ou a ponta de uma lima. Podem usar-se várias ferramentas para esculpir o osso que tem uma consistência que faz lembrar o esferovite. Eu usei uma faca tipo canivete, limas e lixa.

Como incluí dois círculos num só osso, escavei um canal largo entre os dois para o metal correr sem impedimentos até ao fim.

No círculo de baixo abri também uns canais até ao topo, para o ar sair quando entrasse o metal. É um passo muito importante se queremos que o metal encha completamente o molde.

Depois de escavar a forma pretendida, abre-se também uma espécie de funil no topo, para que o metal entre livremente, sem arrefecer demasiado antes de chegar ao fim da forma. Este funil tem de ser feito em ambas as metades do choco, apesar de ser mais importante do lado que foi escavado.

Por fim unem-se as duas metades e amarram-se com fio de ferro.
O osso de choco tem de ser estabilizado na vertical, com a entrada, onde foi escavado o funil, virada para cima. Pode ser preso num torno ou entre duas bases de soldar. Seja como for, convêm que a mesa por baixo do osso de choco esteja protegida, ou por uma chapa de aço ou por uma base de soldar, porque há sempre o risco de algum do metal em fusão escorrer para fora do molde.

Fundição

Depois derrete-se o metal num cadinho. Um maçarico com mistura de gás e oxigénio é o ideal para que a temperatura suba rapidamente e mantenha o metal quente até verter.

Com cuidado, verte-se o metal líquido do cadinho para dentro do osso, num movimento rápido, prestando atenção para não deitar mais do que o molde aguenta. Quando começa a ocupar o espaço do funil, é preciso parar.


Depois abre-se o osso de choco para ver se a fundição foi bem sucedida. Um osso só dá para uma única fundição porque fica queimado por dentro. Se correr mal é preciso preparar um novo.

Boa sorte e acima de tudo, divirta-se!

Para terminar deixo-vos aqui fotos de algumas peças que fiz com fundição em osso de choco. Espero que gostem!

Veja também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *